Alterações do primeiro dedo/dedo grande no corredor

Alterações do primeiro dedo/dedo grande no corredor

A dor no dedo grande (hálux) ou em outras estruturas do pé, como a região plantar ou calcanhar podem ter uma origem comum – hipermobilidade / instabilidade no 1º raio.

Essa instabilidade ocorre com o aumento do movimento em flexão dorsal (para cima) do primeiro dedo, desencadeando tensões sobre os tecidos, como a fáscia plantar.

A instabilidade aumenta quanto maior for magnitude de carga, por reação com o solo, sobre o primeiro dedo.

As condições mecânicas no movimento que originam a instabilidade são a hiperpronação da articulação subastragalina (abaixo do tornozelo) e a retração da fáscia com o encurtamento dos “gémeos”.

Esta alteração, quando mantida ao longo do tempo, causará uma deformação plástica no complexo ligamentar e articular, originando a instabilidade do 1º dedo.

Esta instabilidade cria alterações no mecanismo de Windlass (ação do primeiro dedo em conjunto com a fáscia plantar na fase de propulsão /alavanca do pé, durante o caminhar).

A instabilidade / hipermobilidade do primeiro dedo em dorsiflexão (para cima) vai induzir estiramento sobre a fáscia plantar e o colapso da articulação do médiopé.

Consecutivamente o impacto entre a cabeça do primeiro metatarso e a base da falange proximal será maior (Hallux limitus funcional) e o momento de pronação da articulação subastragalina será igualmente incrementado.

Esta condição clínica é diagnosticada através de testes funcionais em consulta de Podologia Desportiva e controlada com a aplicação de ortóteses / palmilhas personalizadas controlando o movimento da articulação durante a fase de propulsão da marcha / corrida.

Autor:
Dr.º Manuel Cerqueira – Podologista